Sobre repetir roupa. Sobre repetir roupa. Sobre repetir roupa.

July 12, 2019

 

Não sei se você concorda comigo, mas sinto que falar de compras é algo polêmico.
Explico.

 

Tem todo tipo de gente por aí. Mas vamos falar de dois extremos: as pessoas que compram demais (possivelmente porque têm muitas dúvidas na hora de comprar) e as pessoas que não compram nada e mal passam perto de uma loja de roupas. E quando digo que esse assunto pode render muita conversa é porque quem compra muito geralmente tem frases já feitas para justificar o porquê de comprar sempre e quem não compra nunca, também.

 

As pessoas que quase não compram podem não gastar por mil motivos: por falta de tempo, porque não ligam pra roupa, porque se planejam e compram uma ou duas vezes por ano (beijo, Nath Arcuri), porque estão acima ou abaixo do peso e esperando o momento certo pra ir às lojas, por falta de motivação mesmo (tipo é mais fácil pegar um look que já sabe que funciona, replicar em diferentes cores de partes de cima e de baixo e pronto), porque já têm um guarda-roupa super legal e exercem sua criatividade pra usar tudo o que está lá dentro... a lista é longa.

 

Mas mais longa ainda é a lista de motivos de quem está sempre comprando. E para ilustrar essas questões queria falar do post de um projeto incrível chamado Stopshop criado pela artista inglesa Elizabeth Illing. Ela cria imagens com mensagens que nos fazem refletir sobre a forma como estamos consumindo. Essa aqui ficou muito famosa no Instagram - veja abaixo:

 

 

Muita gente repostou essa foto mostrando que realmente estamos divididos entre pessoas que se preocupam com a não repetição de roupas e pessoas que não estão nem aí e usam quinhentas mil vezes o que amam se essa for sua vontade. Devo dizer algo inesperado que aconteceu com essa postagem. Uma parte das pessoas usou a foto para tirar um sarro e expor que realmente não conseguem parar de comprar e repetir roupa. A outra parte achou o projeto incrível (clica aqui para ver de perto) e parou para refletir sobre o problema. Obviamente a intenção da artista era chamar a atenção para a questão do consumismo exagerado e não o contrário.

 

O projeto demonstra, em forma de fotos de etiquetas, algumas das frases que passam pela cabeça dos consumistas de plantão:

 

  • Eu provavelmente não vou usar esse vestido de novo porque já apareceu no meu Instagram (que é o que está escrito na foto acima).

 

  • Se custar menos de 10 libras, eu compro mesmo que não tenha gostado tanto.

 

  • Saber que vai rolar uma festa é um gatilho para me fazer comprar algo novo.

 

  • As roupas da marca X são de péssima qualidade, mas dá pra usar pelo menos uma vez pra sair à noite.

 

  • Sempre gosto de ter alguma roupa que ainda não usei dentro do meu armário.

 

  • Assim que compro algo novo já estou pensando na minha próxima compra.

 

  • Espero o inverno/verão inteiro pelo momento em que as lojas vão entrar em liquidação.

 

  • Pra mim, tirar férias significa que posso comprar mais um monte de roupa nova pra viajar.

 

Além desses anseios, tem mais um milhão de pensamentos que poderíamos escrever. Coisas que passam pela minha cabeça também - que já é muito treinada. Esses dias estava vendo o stories da Giovanna Nader e ela estava contando que deixou de comprar um vestido que ela amou num brechó lá na Dinamarca porque deu um problema no sistema de cartão da loja. Ela falou sobre como esse tipo de contratempo nos faz refletir sobre a necessidade real de comprar a tal roupa. E ó, a Giovanna já consome de forma consciente faz tempo. Imagine como fica a cabeça de quem ainda não está se policiando?

 

E por que temos tanto medo de repetir um look? Penso eu que foi algo colocado na nossa cabeça. Eu nasci ouvindo que não podia repetir roupa em ocasiões especiais, principalmente quando era minha festa de aniversário. E dizem que é "de pequeno que se torce o pepino", não é? Como fica a cabeça de uma criança que escuta isso toda hora? É claro que inconscientemente estamos programados mesmo para comprar, comprar e comprar.

 

Mas tem outras ocasiões em que as pessoas ficam tensas em repetir roupa: comemorações e festas casamento do mesmo círculo de amigos. Vocês já pararam para pensar em como os homens estão normalmente com o mesmo terno nos casamentos (trocando apenas a camisa e a gravata - e olhe lá) enquanto “espera-se” que nós mulheres estejamos com algo novo? Por que não trocar só o sapato e o colar? Também dá pra passar um batom diferente, prender o cabelo de um jeito nunca usado. O Pinterest não tem limites pra sua imaginação, é só pensar nas palavras-chave e correr pro abraço! 

 

 

 

No ano novo também muita gente passa essa sofrência. É aquela busca incessante pelo vestido branco novinho e perfeito. Pra que se preocupar em comprar uma roupa nova se essa peça é praticamente usada uma vez no ano? Seria lindo se virasse uma superstição do tipo: “uso sempre o mesmo vestido branco todo ano pra me dar sorte”. Ou se fosse um ritual entre amigas trocar os vestidos a cada ano pra mudar a cara do seu réveillon se for o caso. 

 

Como estou no Reino Unido, vou falar um pouco do que rola por aqui. O consumo é absurdo em termos de roupa, o maior da Europa. Estima-se que cada pessoa consome quase 27 quilos de roupa por ano. Você consegue imaginar o peso disso? Isso quer dizer que colocamos quase 30 quilos de roupa pra dentro do armário e provavelmente nem metade disso pra fora. O resultado é que a gente passa a não enxergar mais o que tem dentro do guarda-roupa e parece infeliz com o que tem.  E aí entra a sensação que os ingleses têm de que sempre precisam de mais. Será que no Brasil as pessoas sentem diferente? 

 

Aqui em Londres temos as estações bem marcadas e isso quer dizer que apesar de o verão londrino não ser quente e dos mais maravilhosos, é necessário guardar muita coisa volumosa que sobrou do outono e do inverno durante a primavera e o verão. E faço o mesmo quando o frio chega porque a chance de esquentar ao ponto de colocar blusa de alcinha no frio é remota. Mas pasmem, apesar de guardar boa parte das minhas roupas mais quentes, eu ainda assim deixava muita coisa de meia-estação no meu armário. Então decidi deixar a insegurança de esfriar durante o verão de lado (algo que infelizmente acontece) e guardar TODAS as minhas roupas de outono e inverno. A boa notícia é que meu guarda-roupa agora está muito mais colorido porque minhas roupas de verão assim são e consigo enxergar tudo o que tenho sem ficar achando que me falta algo - fica a dica!

 

Ainda falando de Londres, preciso mencionar que a Kate Middleton (a duquesa de Cambridge) vive repetindo as roupas dela. Não é lindo? Que ela continue fazendo isso e inspire a galera do mundo inteiro a valorizar cada coisinha que há dentro do armário!

 

 

 

Pra terminar tenho três toques para vocês:

 

  1. Reflita sobre o que te aflige com relação a repetir roupas. Eu sinceramente evito ficar repetindo exatamente o mesmo look, mas isso não é um gatilho pra comprar. O que me motiva a não comprar é me desafiar pra tentar usar algo de um jeito diferente - veja minhas fotos nesse post em que uso os mesmos vestidos de posts anteriores. 

  2. Se você não ama algumas das coisas que você tem no armário talvez seja necessário reconsiderar sua forma de comprar. Por que você tem peças que não gosta dentro do seu guarda-roupa? Olhe pra cada uma delas e reflita sobre o que houve quando você comprou. Estava na correria? Pensou só naquela ocasião? Comprou mais do mesmo? Deve haver algum padrão na forma como você compra e seria excelente entender o que te motiva a comprar pra você poder se auto-observar e passar a tomar mais cuidado antes de sair gastando por aí.

  3. Cuidado com as promoções recorrentes, elas te fazem gastar mais e mais. O que faço quando gosto muito de uma peça: namoro ela por meses antes de ela entrar em liquidação. Assim, quando a peça estiver com desconto, eu já pensei tempo suficiente pra saber se vale mesmo a pena comprar ou não. Nesse meio tempo muitas vezes eu desisto ou a peça esgota - o que pra mim é um sinal de que não era pra ser. 

 

 

Estou aprendendo também. Já fiz muita besteira na minha vida com relação  à compras. Se você também, deixe seus dados nesse formulário aqui para a gente te avisar em primeira mão sobre nosso curso “Comprar não é Pecado”. Vai ser um curso incrível em que você vai aprender como comprar de forma mais inteligente. Chega de comprar por comprar, #chegadebrusinha! Vamos aprender juntas que está tudo bem repetir peças de roupa. 

 

Lembre-se que a possibilidade de repetição nos leva a ser mais criativas na tentativa de usar aquela mesma peça de um jeito diferente. Também é um fashion statement porque ao usar a mesma roupa proposital e repetidamente demonstramos não estar nem aí para o que esperam da gente, afinal, a gente pode fazer o que der na telha, não é? Roupa é forma de expressão e precisamos nos sentir livres ;) E, de quebra, quando você tem um guarda-roupas que funciona, você poupa dinheiro (e pode tirar do papel algum outro projeto importante), ajuda o meio ambiente e consome de forma mais consciente. Você vai aprender a comprar algo que valoriza muito em vez de 3 blusinhas novas que não te apetecem tanto.

 

Que tal fazer o exercício de #repetirAE esse final de semana?

 

Um beijo com amor,

 

Pati




 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Recentes

November 1, 2019

October 11, 2019

October 4, 2019

Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags