O desafio das 5 peças

Hoje o negócio aqui vai ser tipo reality show e vou mostrar pra vocês a minha experiência toda, não saia daí 😍!

Acho que vocês já perceberam que estamos falando muito de compras, mais especificamente sobre a questão de que comprar não é pecado. No final da semana passada soltamos um vídeo novo justamente com esse título e contamos com participação mais do que especial da queridíssima Nath Arcuri para dar um #chicoaching na nossa audiência. Quem viu? Se você ainda não assistiu #pelamordedeus clica aqui, assista e deixe seu like!

A Nath propõe no vídeo que a gente separe cinco peças de roupa que estão, de alguma maneira, paradas no nosso guarda-roupa. Daí é preciso lembrar quanto pagamos em cada uma delas (não se desespere, pode ser o valor aproximado) e somar o preço de cada item pra ficha cair do tanto de dinheiro parado que tem dentro do nosso guarda-roupa e o quanto poderíamos ter economizado e investido em outra coisa. Eu sei quanto paguei em cada coisa que tenho no meu armário e hoje vou compartilhar com vocês as roupas que estão mais "encostadas" no meu closet. Apesar de amar todas elas e ter consciência da curadoria gigantesca que faço sempre que algo novo entra, também quero ter uma ideia de quanto de dinheiro estou desperdiçando. Bora lá?

A primeira peça é esse vestidinho lindo que comprei na ponta de estoque da Farm por R$230 - sou APAIXONADA pela marca, não é publi. Amei a estampa (lembra que sou das cores?), mas só usei ele uma vez no verão passado com uma camisa por cima porque só com sutiã por baixo não rola (ele é inteiro aberto atrás). Não consegui me ajeitar dentro dele, sabe? Então neste verão... vou dar uma nova chance pra esse vestidinho alegre porque achei uma blusa minha que fica muito legal com ele e, no meio do caminho, tive mais um monte de ideia:

Minha segunda peça é essa saia vermelha de couro ecológico com uma cauda “sereiuda” que fiquei enlouquecida quando vi. Claro que esperei ela abaixar de preço (custava 48 libras e paguei 16) e gastei o equivalente a R$96. O lance é que ela é too much (adoro!), então comprei pensando que usaria num esquema “hi-low” (que nada mais é que misturar essa peça mais luxuosa com outras mais descoladas, esportivas ou básicas). Agora sendo sincera, a ideia era usar nesse esquema hi-low, mas acabei não fazendo isso sei lá porquê. Só coloquei a danada em ocasiões especiais o que, no fim, fez com que ficasse parada no meu armário já que festejar nível hard não é algo que acontece toda semana na minha vida infelizmente. Pronto, já aprendi a minha lição e agora vou desfilar “sereiuda” por aí de tênis no pé:

A terceira da lista é mais uma peça descolada que me endoideceu quando vi. Também esperei abaixar de preço, custava 49 libras e paguei 29 - o equivalente a mais ou menos R$180. Aqui entra o momento “preciso confessar”. Vocês já me conhecem um pouco e sabem que tem que rolar uma ambientação .

😂

Tenho uma séria questão com roupas pelas quais me apaixono e, depois de um longo tempo de paquera, passam a ser minhas. Porque amo tanto, tanto, tanto, que não quero estragá-las. Então em vez de comprar e usar até dizer chega (coisa que muita gente faz e acho o máximo), eu compro - com desconto sempre, é claro - e coloco meu mais novo amor num pedestal. E o problema disso é que eu não sou nem feliz vestindo a minha nova queridinha e nem guardando ela dentro do armário esperando um momento especial chegar. Afinal, que momentos especiais seriam esse se nem sabemos o dia de amanhã? Mas gente, calma. Sei dessa minha questão e me desafio sempre, então bora usar ela de um jeito diferente que pode ser, assim, num dia qualquer:

Minha quarta peça é meu Converse vermelho de couro, também conhecido como All-Star. Foi amor à primeira vista e demorei pra comprar pensando nos prós e contras. Aí comprei e… não consigo usar.

Maaaas, como vocês podem ver, achei uma utilidade pra ele no melhor estilo hi-low com minha saia preta musa maravilhosa. Ele custava 65 libras, esperei baixar para 28 e, no fim, paguei R$170 reais mais ou menos. Chega mais e veja como ficou:

E por último, mas não menos importante, tenho esse vestidinho lindo da Antix - outra loja que eu adoro. Comprei no Enjoei por mais ou menos R$60 e amo a estampa dele. É um dos poucos vestidos que uso apenas como vestido por conta da sua manga assimétrica, ele fica complicado de jogar outras blusas por cima e parece meio desajeitado. Por isso, acabo deixando ele mais guardadinho, o que sinceramente não dá. Mas aí tive uma ideia! Que tal colocar coisas embaixo dele em vez de colocar em cima? Por que não pensei nisso antes? Lembrei da minha saia de renda transparente e parece que deu certo:

Então queria contar pra vocês que depois desse maravilhoso ensaio fotográfico (peço desculpas pelo cenário meio bagunçado lá atrás 🙈) me dei conta de que tenho pelo menos R$736 parados no meu guarda-roupa. Respira, Pati, respira. Calma que agora me deu uma gastura e preciso processar. Porque bate uma culpazinha, bate não?

A gente (e a Nath também, claro) fala que esse sentimento de culpa e arrependimento vem pra quem não tem inteligência na hora de comprar. É difícil escutar essa frase.

Mas parem pra pensar, gente. O que te levanta a auto-estima é uma roupa nova que acaba de sair da loja ou é você estar bem com você mesma? Se pra você se sentir melhor significa comprar roupa nova, é mais que urgente olhar pra essa questão. Porque ela pode estar relacionada com o prazer imediato do comprar por comprar, que passa rápido, e aí essa necessidade volta com força total no futuro. E e a consequência disso é que normalmente essas roupas ficam paradas num cantinho do seu closet e, muitas vezes, junto com uma boa dose de arrependimento.

Então vou falar da lição que aprendi: a culpa já ficou lá pra trás porque sei bem o quanto pensei para comprar tudo isso que vocês viram aí em cima (e não pago o preço cheio de jeito algum - ainda mais em libras, hahaha!!!!) e tô aqui felizona da vida porque fiz compras dentro do meu guarda-roupa e tenho pelo menos 5 jeitos diferentes de usar minhas roupas que estavam paradas. E sobre o dinheiro que já gastei, bora botar esses quase R$750 reais pra trabalhar por mim. Se eu não tivesse dado o jeito que dei, outra saída seria vender ou trocar por peças que eu consiga usar muito. Mas como vocês já sabem, prefiro me desafiar e seguirei assim nos próximos dias.

Se você leu esse post e sentiu que pode estar cometendo erros na hora de comprar, se cadastra aqui embaixo pra receber muito conteúdo exxxxperrrrrto sobre compras inteligentes - fora que você vai ser a primeira a saber quando lançarmos nosso novo curso online (que vai te ensinar como só comprar o que você, de fato, vai usar):

E você, vem comigo? Escolha as 5 peças de roupa que vão te tirar da zona de conforto e bora sacudir essa internet!

Um beijo com sabor de “tô feliz que comprei no meu guarda-roupa e não gastei nada” - lálálálálálálá,

Pati

Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
  • YouTube - Círculo Branco
  • Facebook - White Circle
  • Instagram - White Circle