Uma boa compra vale mais que mil blusinhas.

É clichê, eu sei. Mas a melhor compra que eu já fiz foi um pretinho básico e despretensioso.

Estava eu passeando pela Zara uns dois anos atrás quando, de repente, me deparei com um vestido em promoção. Oito libras (R$48 reais mais ou menos), cor da minha cartela, costas abertas, um cinto fixo do mesmo tecido - achei que tinha potencial. Naquela época eu estava tentando reconstruir meu guarda-roupas por conta da minha mudança de país e o vestido preto estava na minha lista. Eu só não esperava que fosse encontrá-lo jogado numa gôndola de promoção. Levei o bonitinho pra casa, é claro. Vestidinho preto, check ✅!

No começo, estava usando minha mais nova peça com uma certa cautela sei lá porque. Como era um vestido, vestia mais como peça única mesmo: trocava os colares, as pulseiras e os sapatos para fazer render mais looks - normal. Mal sabia eu o potencial do bichinho. Sabe aquela história que a Carol e a Carlinha falam de comprar do próprio guarda-roupa (clica aqui, clica aqui)? Fazer compras no próprio armário significa quebrar a cabeça para usar o que você já tem lá dentro de formas ou combinações diferentes. É o famoso #versatilizaAE: você pega, por exemplo, uma camisa que você sempre colocou como camisa e põe ela ao contrário com a abertura para trás para dar uma mudada. Sacou?

Então me veio uma luz. Quando esfriou, me liguei que ficava lindo em cima das minhas calças mais coloridas e usei ele assim algumas vezes. Mas quando a temperatura abaixou pra valer, considerando que ele é de manga curta, complicou. Agora tem um detalhe: sou brasileira e não desisto de inovar jamais. Tentei usá-lo com uma segunda pele por baixo e o ficou um arraso! Ponto pra mim. Descobri também que aqui na Inglaterra existe uma manga avulsa que parece aquelas luvas de princesa que vão até o final do braço (sem a parte da mão). Você tira e põe quando bem entende e fica ótima com blusas de manga curta porque o começo dela fica bem escondidinho. Achei uma de renda para a minha felicidade - meu tecido “ponto fraco”. Caiu a ficha finalmente: aquele vestido era um achado.

No último inverno, fiz uma viagem de dez dias para Irlanda e só podia levar uma mala de mão. Vocês conseguem imaginar a ginástica que tive que fazer para as minhas roupas renderem o número de dias que eu ia ficar lá e caber num espaço tão pequenininho? Adivinhem quem eu levei? Tcharam!!! Meu pretinho básico foi com calça jeans, foi vestidinho com meia grossa colorida, rolou até look com legging e polaina (tudo o mais colorido possível sempre). As fotos vou ficar devendo porque no fim a gente mais anda de casaco do que qualquer outra coisa, mas garanto que rendeu um tanto. Um mês atrás ele também foi protagonista num novo look de viagem durante a primavera e vesti meu queridinho com uma calça de renda. Definitivamente, ele é o meu xodó.

Queria confessar que uns dez anos atrás eu era a pessoa que, quando amava muito uma roupa, comprava pelo menos mais uma igual com medo de não achar mais aquele modelo ou de uma cor diferente para poder alternar. Alguém aqui é ou já foi assim? Levei anos para entender que posso manter a minha sanidade mental porque no fim a gente sempre acaba encontrando uma alternativa no futuro para aquele item que amamos muito e que acaba ficando podrinho. Posso ficar aqui um tempão listando porque não vale a pena gastar o dobro do dinheiro no momento em que você acha uma peça que amou, então vou dar alguns exemplos.

Pergunta: pra que comprar mais do mesmo se no futuro...

- a gente pode perceber que não amou de verdade aquela roupa.

- a gente pode se dar conta de que a qualidade dela não era a melhor.

- a gente pode engordar.

- a gente pode emagrecer.

- a gente pode engravidar.

- a gente pode mudar nosso estilo - sim sim, acontece muito!

- o contexto da vida pode mudar e aquele item não fazer mais sentido algum (tipo eu, que mudei de país e percebi que meu guarda-roupa não servia mais para o frio).

Acho que no final das contas a gente vai aprendendo, não é? Além dessa questão, queria compartilhar também que já comprei roupa barata e me dei bem. Já comprei roupa cara e me dei mal. E vice-versa. Mais alguém? E sobre amar a roupa na loja e depois repensar se realmente foi uma boa compra…? Quem nunca comprou e se arrependeu que atire a primeira pedra!

Então vamos à famosa pausa nos comerciais para dizer que existe luz no fim do túnel. Tem gente que aprende na raça, batendo cabeça e estudando - tipo eu. Se você sente que precisa de uma mão, vou dar um spoiler: a Assinatura de Estilo lançará em breve um curso online que vai te ensinar a comprar de um jeito jamais visto na televisão - afinal - comprar não é pecado (clica aqui pra assistir o vídeo novo no canal)! Se interessou para você, cadastre agora mesmo seu nome aqui no formulário para receber notícias quentinhas:

Para terminar, preciso contar mais uma história se não parece que o post não é meu. Uns bons anos atrás eu estava na C&A e achei um vestido preto jogado num canto, também em liquidação. Lembro de olhar para ele, achar que dava um bom caldo e, no fim, levei ele pra casa. Usei muuuuuuito aquela peça porque rolava de combiná-la de um jeito super formal pro trabalho (papel que meu atual vestido da Zara não desempenharia), ficava lindo com tênis, com cinto - vesti até na gravidez. Mas na hora de decidir o que viria na minha mala pra Londres, acabei achando que ele já tinha cumprido seu ciclo na Terra e o doei junto com minhas roupas que também ficaram no Brasil. Até hoje lembro dele (sou apegada nesse grau, gente!) e já pensei que seria o máximo tê-lo aqui na Inglaterra. Mas acho que meu atual pretinho básico é muito mais minha cara e - olha só - achei um outro para chamar de meu. Ahhhhhh 💛, história de amor com final feliz!

E por último, mas não menos importante, só queria mostrar a conta que fiz para ver se realmente valeu a pena comprá-lo (aprendi com vocês, meninas - obrigada!). Eu já tenho meu vestido há pelo menos dois anos. Cada ano tem 52 semanas, ou seja, aqui vou considerar 104 semanas para os 2 anos. Se paguei aproximadamente 50 reais nele e se eu o uso todas as semanas de alguma maneira, isso quer dizer que ele me custou mais ou menos R$0,50 por uso! O bichinho ainda está inteirão porque eu tomo um super cuidado na hora de lavar, então ainda tem tempo para ele ir embora do meu guarda-roupa. Valeu a pena essa compra? Meu Deus do céu, se valeu

Então conta aqui para a gente, qual foi a sua melhor compra? Pode ser dos últimos anos, pode ser aquela da vida mesmo. E se lembre sempre de que uma boa compra vale mais que mil blusinhas #chegadebrusinha!

Até semana que vem, queridas :)

Pati

Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
  • YouTube - Círculo Branco
  • Facebook - White Circle
  • Instagram - White Circle