O tal do detox

June 14, 2019

O maior detox que eu já fiz foi quando tive que encaixar minha vida inteira em duas malas de trinta e dois quilos para mudar de país. Para alguns pode parecer bastante espaço, mas lembre-se de que essa bagagem não continha apenas minhas roupas, sapatos e acessórios. Ali eu tinha que fazer caber tudo que precisaria para recomeçar.

 

Vocês já tiraram tudo do guarda-roupa e colocaram em cima da cama? Acho que só dá para ter uma noção real do que tem lá dentro se você fizer algo nessa linha. Quando chegou a minha vez, lembro que me veio na cabeça aquele programa de televisão sobre perda de peso em que a nutricionista quer dar um susto no paciente que passará pelo processo de detox e coloca toda a comida consumida semanalmente por aquela pessoa sobre uma mesa. Vocês já viram? Então, é tipo isso. Se você não sabe do que estou falando, desmonte seu armário e faça uma montanha com as suas roupas em cima de onde você dorme. Sua ficha deve cair quando essa cena for ao ar :)

 

 

Claro que nem todo guarda-roupa esconde um Everest de roupas. Hoje em dia já tem muita gente fazendo armário-cápsula, tentando viver no minimalismo e aplicando isso dentro do closet também. Recentemente a Marie Kondo (links para os livros dela aqui e aqui) ganhou notoriedade por conta do seu documentário na Netflix (eu já a conhecia porque li seu livro uns anos atrás, mas foi ótimo vê-la em ação) e passamos a trocar mais ideias com o nosso armário e pensar no que ali dentro realmente “nos traz alegria”. Se não traz, para que guardar, não é mesmo? Acho muito incrível assistir pessoas questionando "o que todo mundo faz" nos mais diversos aspectos porque só de entender que há a possibilidade de um novo olhar para algo existente já é motivo para a gente pensar em quebrar um paradigma e, de repente, tentar algo novo também.

 

Como dizem a Carol e a Carlinha, não é proibido comprar. Mas ainda temos muito a aprender com relação à forma como estamos consumindo hoje em dia. Que tal, por exemplo, fazer compras dentro do nosso guarda-roupa em vez de ficar na escassez? Muitas vezes ficamos presos ao que falta em vez de pensar na necessidade de comprar antes de entender como aquela nova peça se encaixa numa colcha de retalhos que está sendo construída há tanto tempo. É preciso refletir sobre como aquele item vai ser integrado àquela família porque se não o coitado corre o risco de ser jogado para escanteio sem ter chance de brilhar por aí.

 

Fazer uma “limpa no armário” (ou como gostamos de dizer hoje em dia, fazer um detox) é eliminar daquela caixa de madeira que você abre todo santo dia tudo aquilo que não te cabe, que você não usa, que não tem mais nada a ver com você. Passar por esse processo vai te fazer enxergar o volume do que tem ali dentro e te trazer uma visão geral do seu guarda-roupa. Você vai organizar melhor suas roupas, setorizá-las de acordo como fica mais fácil para você e conseguir ver como e onde é possível versatilizar o que você já usa.

 

 

 

Prometo, também, que o detox vai ser um convite para se olhar mais e questionar a forma como você vem comprando e tratando o seu vestir. Vai fazer a energia do seu quarto fluir. Vai te tirar da sua zona de conforto (olha eu te desafiando de novo!). Vai mudar seu jeito de pensar.  

 

Aqui vamos te dar algumas dicas sobre como começar:

 

 

  • Enquanto você estiver fazendo o detox e reorganizando seu guarda-roupa, comece a escrever uma listinha do que você sente falta ali dentro. Por quê? Porque durante esse processo você estará enxergando o que tem demais e o que tem de menos (por exemplo: se tem muito preto, se tem muita calça jeans, se tem pouca blusa).

 

Nessa lista podem entrar também as peças que estragaram e você terá que doar, um sapato mais colorido para quebrar um look escuro ou até mesmo algo que você sempre quis usar e ainda não teve coragem ("coragem", aliás, é uma palavra forte demais para isso. Vamos alaborar sobre esse assunto mais pra frente). Também é importante refletir sobre a funcionalidade do que te falta para priorizar o que entra nessa lista. Explico: o frio está chegando e você não tem malha de lã? Então esse item tem que ir para o topo da lista. E se você sentir que não precisa de nada e que segura um tempo sem comprar, melhor ainda ;)

 

  • Depois que estiver com tudo mais organizado, você pode montar um painel usando cartolina e recortes de fotos de revista, criar uma pasta de inspirações e referências no Pinterest (sou suspeita para falar porque fico hoooooras selecionando fotos por lá) e/ou ainda fazer uma pasta de salvos no Instagram e colocar ali posts nos quais acha interessante se inspirar (sabe aquela bandeirinha, que prece de festa junina, que fica logo abaixo do canto esquerdo das fotos que você vê nessa rede social? É ali que você salva!). O importante aqui é ter essas imagens de referência para recriar em cima das inspirações (lembrando que #inspiracaonaoehimitacao) e plantar uma sementinha. Pode ser que no começo seja mais difícil arriscar, mas é um exercício e você vai perceber que ao longo do tempo fica bem mais fácil.

  • Crie autodesafios. Sabe aquela história de que a gente se vira nos 30 quando bate o aperto? Se você quiser ajuda para se inspirar, listamos aqui embaixo quatro ideias:

 

A Carol e a Carlinha propuseram no final de maio um desafio que já acabou, mas que você pode voltar no YouTube para assistir aos vídeos e tentar fazer. O que mais adorei nesse processo do qual eu participei foi colocar as hashtags das meninas em prática (#inspiracaonaoehimitacao, #versatilizaae, #confortonaoehdesleixo, #secuidaae, #chegadebrusinha, #lookpechinchaae, #vestirparalibertar - minha favorita)

 

 

A Ana Claudia Leoni do Dinheiro com Atitude faz o “desafio do closet” de tempos em tempos. A regra é não comprar peça alguma de roupa por 6 meses e não repetir o mesmo look nesse período. Uma premissa que ela adota e acho super legal é anotar tudo o que você deixa de gastar nesse período para ter uma ideia de quanto economizou. Ou seja, deu vontade de comprar? Escreve no caderninho quanto custa “a brusinha” que quase foi para a sacola e ao final dos 180 dias veja o total de dinheiro que você tem sobrando por ter conseguido se segurar.

 

A Guid do Não Repete faz desafios recorrentes e super diferentes. O último dela foi o “use uma cor” - em que você podia escolher só uma cor para aquela semana e ir combinando esse mesmo tom de várias maneiras diferentes (com preto, com outra cor contrastante, com outra peça da mesma cor, com uma cor clara e, no último dia, você não podia usar aquela cor).

 

Deixei a cereja do bolo para o final porque ao falar da Jojo meus olhos brilham. A Joanna Moura do blog Um Ano Sem Zara foi a minha maior inspiração na vida. E aqui quero frisar novamente a importância da inspiração, assim como a Carol e a Carlinha também falam muito. Muito do que sei hoje em dia aprendi assistindo aos 365 dias do desafio que a própria Jojo se colocou para tirar sua conta do vermelho num movimento que ainda não era conhecido como o #chegadebrusinha, mas que no fim, era. O blog começou com as fotos que ela tirava diariamente para provar que não estava comprando nada e virou uma referência para muita gente. Aprendi um monte sobre criatividade, versatilidade e persistência. Dá uma espiada, gente - vale muito a pena.

 

Aguarde as cenas dos próximos capítulos porque ainda falaremos muito sobre o detox. E nesse meio tempo, conta para gente: você já fez uma limpa daquelas no seu closet?  

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Recentes

November 1, 2019

October 11, 2019

October 4, 2019

Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags